MATÉRIAS SITES

PEDALANDO DEZ DIAS PELA VIDA VIDEOS MATERIAS DE SITE

Dez Dias Pela Vida

Atleta de longas distâncias, mineiro Rogério Pacheco quer pedalar 400 km por dia por uma boa causa
28/01/2010





Por Leandro Bittar

O atleta Rogerio Pacheco prepara-se para o maior desafio da carreira. A partir do dia 18 de fevereiro, o ciclista dera início ao projeto “Pedalando Dez Dias Pela Vida”, no qual irá pedalar por tempo ininterrupto, em média, “vinte voltas” ao redor da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte, sendo que o propósito é atingir média de 376 a 400km por dia.

No próximo sábado (30/1) será lançado oficialmente o desafio com um simulado. Onde será catalogado os vários detalhes de alimentação, horário para imprensa, atendimento médico, fisioterapia e descanso.

Os atletas Carlos Leônidas e Simon Cameron são os convidados de Rogerio Pacheco para este específico dia de apresentação do “Pedalando Dez Dias Pela Vida”. Vale destacar que por todo o dia outros atletas estarão acompanhando os recordistas, fazendo valer a importância de que a cada volta pedalada serão doados 100 kg de alimentos “não perecíveis”. O objetivo é chegar a marca de “duas toneladas” de alimentos que serão entregues a duas entidades carentes da região norte de BH.

Rogerio Pacheco tem um dos melhores currículos em provas de longa distância no Brasil, sendo tricampeão de provas de 24h: 2006 em SP e 2007/2008 em Fortaleza-CE.

Pacheco tem vaga para representar o Brasil na RAAM (Race Across América), conhecida como a prova de ciclismo mais difícil do mundo e que atravessa os EUA de costa a costa, com 4.800km. Ele ainda busca patrocínios para realizar o projeto.

O desafio tem o apoio de: ORBEA, Regional Pampulha, Guarda Municipal, Health Studio, Núcleo de Saúde Lapecco, Green Max bikes by Pacheco e realização da
Liga Mineira de Ciclismo

MATÉRIA DO SITE PROLOGO
=================================================================

Atleta de ultra ciclismo Rogério Pacheco vai pedalar dez dias seguidos em Belo Horizonte

Rogério Pacheco, atleta de ultra ciclismo, vai pedalar mais de 4.000 km em dez dias na orla da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte, para divulgar sua campanha Pedalando Dez Dias Pela Vida, de prevenção às drogas.

11 de Fevereiro de 2010. Publicado por Equipe EcoViagem

Entre os próximos dias 18 a 27 de fevereiro, Belo Horizonte vai sediar um evento único no Brasil, o ‘Pedalando Dez Dias Pela Vida'. O ultra ciclista Rogério Pacheco vai pedalar durante dez dias seguidos na orla da Lagoa da Pampulha.

O objetivo do atleta é divulgar a campanha que realiza a mais de dois anos onde utiliza o ciclismo como forma de prevenção às drogas. Para Pacheco, “o esporte é uma das melhores formas de prevenir para que os jovens não entrem no mundo das drogas. Além disso, a prática esportiva proporciona uma excelente qualidade de vida”.

Durante estes dez dias, diversos atletas, artistas e personalidades que apóiam e endossam a campanha irão pedalar ao lado de Rogério Pacheco na Pampulha, um dos pontos turísticos de maior importância da capital mineira.

Para realizar o feito histórico, o atleta terá muitas barreiras a vencer. Apesar de sua experiência com provas de longa duração – Pacheco é tri campeão brasileiro do Desafio 24 Horas (Ultra Ciclismo) – o desafio não será fácil. O ciclista pretende completar uma média de 20 a 23 voltas na Lagoa por dia, o que significa cumprir uma meta de mais de 400 quilômetros diários de pedal. Ao final dos dez dias, Pacheco terá pedalado mais de 4.000 quilômetros. Ele terá que enfrentar várias condições climáticas já que começará a pedalar às 6h e só termina às 23h, quando dormirá em um motorhome instalado, junto com sua estrutura de médicos, massagistas e nutricionistas, na região próxima à Igreja da Pampulha.

Sobre Rogério Pacheco

Atleta de ciclismo com uma carreira de 13 anos no esporte e vários títulos, Rogério Pacheco é hoje o melhor atleta brasileiro de ultra ciclismo, provas de longa duração. Seu maior destaque é o bicampeonato mundial válido pelo ranking da UMCA (Ultra Marathon Cycling Association), sendo inclusive destaque ao atingir a incrível marca de 663 quilômetros percorridos em 24h e 32 min. Com estas conquistas, Rogério Pacheco garantiu sua vaga para representar o Brasil na maior e mais difícil competição de ciclismo do mundo, a RAAM – Race Across America, prova que atravessa os Estados Unidos da costa oeste à leste (4.800 km).

Sobre o projeto Pedalando Pela Vida

Em parceria com a ONG Terra da Sobriedade, comunidade terapêutica que atua em atividades de apoio para dependentes químicos, Rogério Pacheco incentiva e monitora voluntariamente o ‘Pedalando Pela Vida’. Todas as quartas-feiras pela manhã, ele lidera um grupo que pedala uma volta na orla da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. A iniciativa criou um programa pioneiro no Brasil, ao usar o ciclismo como forma de ajuda aos dependentes químicos.

Contatos Rogério Pacheco
(31) 9696 0683 / (31) 3441 4161
rogeriopachecoatleta@gmail.com
www.rogeriopacheco.com.br
twitter.com/pedalando10dias

MATERIA DO SITE ECOVIAGEM

====================================================

PEDAL PELA VIDA


Mineiro vai pedalar 10 dias seguidos
Serão 4.000 km na Pampulha em BH

O ultraciclista Rogério Pacheco começa às 6 horas da quinta-feira, dia 18, um dos maiores desafio de sua carreira. Pacheco vai pedalar 10 dias e pretende totalizar 4 mil quilômetros rodados ao redor da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte.

Apesar de sua experiência com provas de longa duração – Pacheco é tricampeão brasileiro da prova cearense Desafio 24 Horas – o desafio não será fácil.

Pacheco pretende completar uma média de 20 a 23 voltas na Lagoa por dia, ou seja, cerca de 400 quilômetros diários.

O objetivo de Pacheco é utilizar o ciclismo para divulgar a campanha de prevenção às drogas. Em parceria com a ONG Terra da Sobriedade, comunidade terapêutica que atua em atividades de apoio para dependentes químicos, Rogério Pacheco incentiva e monitora voluntariamente o ‘Pedalando Pela Vida’. Todas as quartas-feiras pela manhã, ele lidera um grupo que pedala uma volta na orla da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. A iniciativa criou um programa pioneiro no Brasil, ao usar o ciclismo como forma de ajuda aos dependentes químicos.

Até o dia 27 de fevereiro, diversos atletas, artistas e personalidades que apóiam e endossam a campanha irão pedalar ao lado de Rogério Pacheco na Pampulha.

Sobre Rogério Pacheco

Atleta de ciclismo com uma carreira de 13 anos e vários títulos, Rogério Pacheco ganhou destaque com o bicampeonato no Desafio 24 Horas de Fortaleza, prova credenciada no ranking da UMCA (Ultra Marathon Cycling Association), quando percorreu 663 quilômetros em 24 horas e 32 minutos.

Com estas conquistas, Pacheco garantiu sua vaga para representar o Brasil na maior e mais difícil competição de ciclismo do mundo, a RAAM – Race Across America - prova que atravessa os Estados Unidos da costa oeste à leste com 4.800 km de extensão.


MATÉRIA DO SITE BIKEMAGAZINE

===================================================================

Militar reformado apóia ação de recuperação de dependentes químicos



Escrito por Tenente QOR Francisco Alberto de Assis
Fotos blog pedaldofrangofotos.blogspot.com

Rogério Pacheco, Você é um super homem não só pelo fato de superar seus próprios limites, batendo seu próprio record e o record brasileiro em solo PEDALANDO DEZ DIAS PELA VIDA, percorrendo cerca de 4.000 Km o equivalente a distância de Belo Horizonte a região amazônica. Muito mais do que isto, Você superou barreiras por falta de apoio daqueles que poderiam estar do seu lado para a realização do evento, e se omitiram. Imagino o grande desafio de realizar uma façanha de tamanha magnitude como herói anônimo pedalando dez dias debaixo de sol e chuva por uma causa justa, pensando naqueles jovens que no submundo das drogas perderam o sentido da vida. Saiba de uma coisa: seus amigos estão sempre do seu lado e jamais vão esquecer que um dia Rogério Pacheco, um super atleta do ciclismo de renome nacional marcou sua passagem PEDALANDO DEZ DIAS PELA VIDA na orla da Lagoa da Pampulha, nosso cartão postal, não simplesmente para estar na mídia, porque para a mídia a vida também tem pouco sentido já que para ela é mais importante ocupar o espaço noticiando mortes, desastres do que enaltecer um feito de tamanha grandeza... Um apelo à vida. Por uma questão de justiça devo enaltecer a cobertura da TV Alterosa através do Programa Alterosa Esporte, Da Rede Minas de Televisão, Rádio Itatiaia, programa Chamada Geral de Eduardo Costa, Rádio Gospa Mira e outros órgãos de imprensa dos quais certamente cobriu o evento. As chamadas grandes redes certamente não reservou espaço já que a violência é tope de linha dos noticiários. Para nós a vida é muito mais importante. O seu exemplo ficará marcado para sempre na nossa história. Parabéns a Você e que Deus possa ajudá-lo sempre a alcançar todos os objetivos de sua vida, inclusive o sonho de estar representando o Brasil numa competição internacional, mesmo sabendo que a falta de apoio é um limite a ser superado. Parabéns, Você é um grande herói. Um Mineiro de fibra que tem pernas de aço, peito de ferro, pulmão de gigante e coração de bronze, mas, que às vezes derrete como sorvete de tanta emoção...

alt alt
MATÉRIA DO SITE;Aspra-PM/BM - Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais

====================================================


MATÉRIA DO SITE AMIGOS DA BIKE 28\01\2010


.

Pedalando Dez Dias Pela Vida

Foto: Divulgação

Maior evento de todos os tempos de um atleta (Rogerio Pacheco) do ciclismo no Brasil tem data marcada: 18/02/2010. O “Pedalando Dez Dias Pela Vida” será um desafio que irá mostrar em tempo real o dia a dia de um atleta que por sua vez irá pedalar por tempo ininterrupto em média “vinte voltas” ao redor da Lagoa da Pampulha cartão postal da capital mineira, sendo que o propósito é atingir média de 376 a 400km por dia durante os dez dias.

No próximo dia 30/01/2010 será lançado o desafio “Pedalando Dez Dias Pela Vida”. Este lançamento será um simulado sobre a difícil tarefa que o atleta Rogerio Pacheco terá por dez dias, na qual será catalogado os vários detalhes de alimentação, horário para imprensa, atendimento médico, fisioterapia e descanso. Respectivamente todos estes detalhes a começar pelo horário da largada às 06h da manhã horário de largada durante os dez dias.
Os atletas Carlos Leônidas e Simon Cameron são os convidados de Rogerio Pacheco para este específico dia de apresentação do “Pedalando Dez Dias Pela Vida”, experientes ciclistas do mountain bike e do ciclismo de estrada terão que bater seus próprios recordes antes de “dezoito voltas" 341km com o tempo de 09h e 49 minutos percorridos na Lagoa da Pampulha em fevereiro de 2009, a meta agora são “vinte voltas" 376km. Vale destacar que por todo o dia outros atletas estarão acompanhando os recordistas, fazendo valer a importância de que a cada volta pedalada estará valendo 100kg de alimentos “não perecíveis”, o objetivo desta turma é chegar a marca de “duas toneladas” de alimentos que serão entregues a duas entidades carentes da região norte de BH.

Rogerio Pacheco hoje melhor atleta de "ultraciclismo" do Brasil de todos os tempos para provas de 24h e muitos outros títulos conquistados sendo que o maior destaque é para o bi-campeonato mundial que valeu pelo ranking da UMCA (UltraMarathon Cycling Association) em 24h, quando venceu as etapas no Brasil-CE 2007/2008 e o tri-campeonato em provas de 24h, 2006 em SP, 2007/2008 Fortaleza-CE, destaque em 2008 quando atingiu a incrível marca de 663 km em 24h e 32min, com a vitória Rogerio Pacheco ainda tem garantido a vaga para representar o Brasil na maior e mais difícil competição do mundo do ciclismo a RAAM (Race Across América), prova que atravessa os EUA de costa a costa com 4.800km, que por sua vez ainda não pode representar o Brasil devido a falta de patrocio. Agrega em seu currículo dois importantes títulos de campeão brasileiro: em 2009 no mountain bike e 2008 no ciclismo de estrada.

Em parceria com a entidade Terra da Sobriedade (http://www.terradasobriedade.org.br/) comunidade terapêutica que atua como atividades de apoio para dependentes químicos sendo que a mais de um ano acontece o "Pedalando Pela Vida", monitorado voluntariamente por Rogerio Pacheco saindo uma vez por semana sempre nas quartas feiras pela manhã e fazem uma volta na orla da Lagoa da Pampulha em Belo Horizonte e região, programa único e pioneiro no Brasil a usar o ciclismo como forma de ajuda para dependentes químicos.

“Contudo, vale prevenir!”

Este desafio tem o apoio de: ORBEA, Regional Pampulha, Guarda Municipal, Health Studio, Núcleo de Saúde Lapecco, Green Max bikes by Pacheco e principalmente os muitos atletas e amigos.

Realização:
Liga Mineira de Ciclismo

Fonte: Divulgação
Por: Guilherme Giorgi Costa
Data: 28/01/2010



-----------------------------------------------------------------------------------------------

MATÉRIA DO SITE PROLOGO DIA 28\01\2010

Dez Dias Pela Vida


Atleta de longas distâncias, mineiro Rogério Pacheco quer pedalar 400 km por dia por uma boa causa






Por Leandro Bittar

O atleta Rogerio Pacheco prepara-se para o maior desafio da carreira. A partir do dia 18 de fevereiro, o ciclista dera início ao projeto “Pedalando Dez Dias Pela Vida”, no qual irá pedalar por tempo ininterrupto, em média, “vinte voltas” ao redor da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte, sendo que o propósito é atingir média de 376 a 400km por dia.

No próximo sábado (30/1) será lançado oficialmente o desafio com um simulado. Onde será catalogado os vários detalhes de alimentação, horário para imprensa, atendimento médico, fisioterapia e descanso.

Os atletas Carlos Leônidas e Simon Cameron são os convidados de Rogerio Pacheco para este específico dia de apresentação do “Pedalando Dez Dias Pela Vida”. Vale destacar que por todo o dia outros atletas estarão acompanhando os recordistas, fazendo valer a importância de que a cada volta pedalada serão doados 100 kg de alimentos “não perecíveis”. O objetivo é chegar a marca de “duas toneladas” de alimentos que serão entregues a duas entidades carentes da região norte de BH.

Rogerio Pacheco tem um dos melhores currículos em provas de longa distância no Brasil, sendo tricampeão de provas de 24h: 2006 em SP e 2007/2008 em Fortaleza-CE.

Pacheco tem vaga para representar o Brasil na RAAM (Race Across América), conhecida como a prova de ciclismo mais difícil do mundo e que atravessa os EUA de costa a costa, com 4.800km. Ele ainda busca patrocínios para realizar o projeto.

O desafio tem o apoio de: ORBEA, Regional Pampulha, Guarda Municipal, Health Studio, Núcleo de Saúde Lapecco, Green Max bikes by Pacheco e realização da
Liga Mineira de Ciclismo


---------------------------------------------------------------------------------------------------





Matéria do site Bikemagazine do dia 11/12/2009



11 de Dezembro de 2009
Rogério Pacheco vence mais uma prova e lança blog


PDF Imprimir E-mail

O mineiro Rogério Pacheco, ultraciclista foi o terceiro colocado no 1º Desafio de Mountain Bike. A prova foi realizada nos municípios mineiros de Caetanópolis-Paraopeba.

O destaque ficou para o atleta Sidney (Iken Fix) que ficou em primeiro lugar na geral, seguido do filho da terra Joaquim Alves (Bel May/Pedal Adventure) e de Rogério Pacheco (Green Max Bikes by Pacheco/Giro/Terra da Sobriedade) que ficou em terceiro na geral e campeão da Categoria M2.

O circuito tinha 27 km de muita lama, sendo 7 km em single track bastante escorregadio.

"Cenas inusitadas não faltaram no desafio, uma delas foi quando os motoqueiros que acompanhavam os líderes ficaram para trás com problemas nas motos ou por não conseguirem sobrepor os obstáculos", contou Pacheco, que aproveitou para divulgar seu blog: www.rogeriopachecorp.blogspot.com.


link da materia: http://www.bikemagazine.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=6090&Itemid=68


------------------------------------------------------------------------------------------------
Matéria PRO LOGO

Campeão de resistência
/ REVISTA PROLOGO

Principal nome do Brasil em provas de longas distâncias, Rogério Pacheco luta contra as dificuldades das competições e a falta de apoio para conquistar títulos
28/11/2008





Por Cesar Candido dos Santos
Foto Antônio Ponzini

Enquanto as atenções do Desafio 24 de Fortaleza, disputado nos dias 15 e 16 de novembro, estavam voltadas para as feras do ciclismo brasileiro Murilo Fischer (Liquigas) e Luciano Pagliarini (H20), o mineiro Rogério Pacheco pedalava forte para conquistar o bicampeonato da competição e, de quebra, bater o próprio recorde no circuito, que agora é de 51 voltas (663 km).

Campeão brasileiro Máster e um dos principais destaques do país em provas de ultra-ciclismo, o atleta começou a carreira no Mountain Bike e depois passou a se dedicar às competições longas de estrada. Ao longo de sua carreira, além de encarar os adversários e os limites do corpo, ele sempre teve que lutar contra a falta de apoios e patrocínios, mas nunca deixou de ser um vencedor.

Prólogo - O que despertou seu interesse por disputas de longa distância?
Rogério Pacheco - Esse tipo de prova tem tudo a ver comigo, e o que mais gosto nelas é o desafio com meus próprios limites. Quando fazia mountain bike, sempre me saia bem nas competições de um ou dois dias. Fiz o Desafio 12 Horas e aí surgiram vários convites para disputar o 24 Horas, fui e conquistei o título.

Prólogo - E o que lhe fez trocar o MTB pelo ciclismo de estrada?
RP - Tudo começou com uma certa frustração pelo mountain bike. Sempre me sai bem nas competições, mas nunca consegui patrocínio. Cansei de ouvir promessas todo início de ano, e aí passei a me dedicar às provas de estrada. Mas até hoje também não ganhei nada além de reconhecimento nas disputas de longa distância.

Prólogo -Você ainda sofre com a falta de apoio?
RP - Sim, não pude disputar a RAAM (Race Across América) e o Campeonato Mundial por falta da patrocínio. Isto foi uma frustração muito grande para mim.

Prólogo - Você tem novamente vaga garantida na RAAM por ter sido campeão do Desafio 24 Horas. Já conseguiu patrocínio para disputar a prova?
RP - Ainda estou conversando com algumas empresas, e as expectativas são boas. A RAAM é a prova mais dura do planeta e exige uma logística muito grande. Tenho muita vontade de disputá-la, e os apoiadores são essenciais para isso. Acredito que os parceiros irão aparecer.

Prólogo - Já passou pela sua cabeça deixar o ciclismo devido à falta de incentivos?
RP - O ciclismo é uma coisa que está no sangue e não dá para pensar em parar. São onze anos no esporte e sempre precisei ter muita persistência. Mesmo sem patrocínio, sempre competi com atletas profissionais e os venci. Diversas vezes me decepcionei por acreditar que conseguiria um apoio e depois ele não vinha, hoje, não penso mais nisso. Mas nunca deixei de pedalar e isso não passa pela minha cabeça.

Prólogo -Como é sua preparação para as provas de longa distância?
RP - No início do ano, faço algumas provas mais curtas, para manter o ritmo, a motivação e o espírito competitivo, já que as competições longas geralmente são no fim da temporada. Os treinos nem sempre são como quero, pois preciso trabalhar e não tenho tempo para me dedicar tanto ao pedal.

Prólogo -O que é mais importante em uma prova de longa distância?
RP - É preciso conhecer muito bem os próprios limites, saber o que acontece em relação aos adversários, o clima do local, cuidar da alimentação e hidratação, tudo isso faz a diferença. Mas a concentração e o fator psicológico são fundamentais. É preciso estar preparado para todas as situações e não desistir na primeira dificuldade encontrada.

Prólogo -Em que competição você enfrentou maiores dificuldades?
RP - O Desafio 24 Horas deste ano. Foi uma prova de pura superação. Larguei muito forte e sempre alternei entre as três primeiras posições, mas não estava me sentindo muito bem, sofri muito durante a parte do dia devido ao calor. A pressão foi muito grande porque os outros adversários sempre andaram muito perto de mim. Mas não baixei a cabeça, porque sabia que meu forte é a parte noturna. Durante muito tempo, senti que estava pedalando quadrado, só quando parei para jantar passei a me sentir bem. Tive que ditar um ritmo forte para me recuperar. Este ano, o calor, o vento e a pressão dos rivais dificultaram muito as coisas.

Prólogo -Quais são seus planos para a próxima temporada?
RP - A minha prioridade é fazer a RAAM, o Mundial de ultra-ciclismo e o Desafio 24 Horas de Fortaleza, mas tudo isso depende dos apoios que conseguirei. Além disso, vou defender meu título do Campeonato Brasileiro e disputar algumas provas em Minas Gerais, como forma de preparação. Também existe a possibilidade de correr a Volta de São Paulo, mas ainda não está nada certo.

Prólogo -A Volta de São Paulo é uma competição completamente diferente das que você está acostumado. Como seria participar dela?
RP - Ainda não tenho nada certo. Existem algumas conversas e esta idéia está apenas no início. Caso dispute a RAAM, não competirei a Volta de São Paulo. Tudo depende de como as coisas acontecerão. Mas realmente é uma competição diferente, que exige outro tipo de treinamento e trabalho em equipe.

FONTE ; PRO LOGO LINK : http://prologo.uol.com.br/scripts/materia/materia_det.asp?idMateria=2616&idCanal=21&stCanal=Entrevista

--------------------------------------------------------------------------------------------------
Matéria Estado de Minas site UAI

Personagem da semana -Rogerio Pacheco
Ciclismo pode ajudar a recuperar dependentes químicos


Esportista aposta na sensação de liberdade oferecida pelo ciclismo como instrumento de apoio na recuperação

Bianca Melo - Estado de Minas


Jair Amaral / EM / D.A Press
Os 18 quilômetros da orla da Lagoa da Pampulha são percorridos com entusiasmo e velocidade nas noites de segunda e quinta-feira e nas manhas de sábado.

Um dos meios de transporte mais simples, basicamente duas rodas, um cano de ferro e um guidom, pode ser usado no tratamento de dependentes de drogas. Quem garante é o ciclista Rogério Pacheco, de 36 anos, bicampeão brasileiro do Desafio 24 horas e um dos principais ciclistas do país. Todos as noites, depois das 19h, Pacheco está a postos em frente à igrejinha da Pampulha, em Belo Horizonte, esperando os companheiros que vão circular com ele pelos 18 quilômetros da Lagoa da Pampulha.

Por lá, explica, aparecem obesos, moradores da região, adeptos de velocidade e jovens, geralmente mais calados, que tentam se livrar do vício. “Mantemos contato com uma instituição que trata dependentes e tem a história também de um ir falando para o outro.” A metodologia é pedalar com orientações e, de preferência, acompanhado por mais pessoas. “É porque a bicicleta dá aquela sensação de liberdade e leva a gente a ir se desafiando para chegar cada vez mais longe”, justifica.

Seu próximo projeto é dar orientações e aulas sobre bicicletas para internos de casas onde ficam dependentes químicos. “Já tenho tudo na cabeça e estou correndo atrás de parcerias”, diz. Ele mesmo não foi dependente, mas se animou com histórias que acompanhou. “Incrível como algumas pessoas começam a levar a sério e passam a ter prazer em andar de bicicleta, mudando de hábitos.”

A própria relação de Pacheco com a bicicleta se explica pelo prazer de pedalar. Diariamente, o ciclista sai de Justinópolis, em Ribeirão das Neves, por volta das 7h e pega mais de 25 quilômetros rumo a BH em seu meio de transporte preferido. Até 9h, o tempo é para treinamentos e, na seqüência, começa o expediente na loja de bicicletas que ele mantém com um irmão. De lá, ele só sai às 19h.

As noites de segunda a quinta e as manhãs de sábado são para os passeios com as turmas ao redor da lagoa. Saem em grupos, chamados por eles de pelotões. O tamanho dos grupos varia de acordo com o clima e com o humor dos ciclistas. Segunda e quarta especialmente são os dias em que a velocidade é menor porque a maioria dos ciclistas é de amadores. “É necessária apenas uma bicicleta, pode ser simples, mas precisa ser adequada para o peso e a estatura da pessoa”, ensina.

Não foi fácil se dedicar integralmente à bicicleta, como ele faz hoje. Na adolescência e juventude, aprendeu a fazer comida japonesa e trabalhou por muito tempo em Belo Horizonte em restaurantes e eventos. Não havia moleza na casa de sete irmãos em Justinópolis, a mesma em que ele vive hoje. “A gente tinha que trabalhar para ajudar em casa.” Mas foi a opção de ir de bicicleta da sua casa para a capital para economizar o troquinho da passagem que mais tarde lhe deu ânimo para participar de disputas.

Rogério começou a competir há 11 anos e, conta, nunca teve patrocínio. Neste ano, foi um dos quatro brasileiros convidados a participar do Mundial de Ciclismo na Suíça, no mês que vem, mas não conseguiu dinheiro para financiar os gastos e desistiu. Seria a primeira competição fora do país. Sua esperança agora é a Race across american (Corrida pela América), prova de 5 mil quilômetros, que será disputada nos Estados Unidos, em junho de 2009, com atletas de todo o mundo. “Pelas contas que fiz, acho que não gasto menos de R$ 60 mil”, diz o ciclista, aproveitando para divulgar aos empresáriosa existência da lei de incentivo ao esporte. Segundo ele, será preciso contratar fisioterapeuta, nutricionista e suporte. Apesar de vencer disputas de nível internacional, ele não teve sucesso em seu pedido ao Ministério dos Esportes de receber a bolsa-atleta.

Opção

Na quinta-feira, quando conversou com o Estado de Minas, ele já tinha passagem comprada para Uberlândia, onde disputaria prova de três dias. Ele desmonta a bicicleta e a leva em uma caixa, maior do que a mala que costuma acompanhá-lo. Com exceção das viagens de longa distância, ele faz todos os deslocamentos de bicicleta. “É um carro a menos na rua”, diz.

Ele garante que, se o ciclista respeitar as regras de trânsito e souber sinalizar, é possível circular sem problemas na capital. “Claro que é preciso muita atenção porque alguns motoristas ainda encaram o ciclista como um intruso na rua e têm mania de espremer a gente”, admite. Ele mesmo levou um ligeiro tombo ao frear assustado com o movimento de um carro que não deu a ele a preferência quando seguia para a igrejinha da Pampulha, local da entrevista. “Isto é raro porque eu conheço muito bem a lagoa, foi azar”, brinca o rapaz, que é recordista na área com 15 voltas na orla em 11 horas sem parar.




---------------------------------------------------------------------------------------------
Matéria Amigos da bike


Rogério Pacheco Sofre Acidente em Treino

Foto: Divulgação

Pacheco, como é conhecido, estava voltando aos treinos após descanso da temporada passada.

Iniciando os treinos para temporada 2009 onde defenderá os títulos de campeão brasileiro e do Desfio 24h de Fortaleza no segundo semestre, lamentavelmente uma discussão no pelotão que treina na Lagoa da Pampulha aos sábados fez com que o pelotão parasse bruscamente provocando uma queda em série e o Atleta Rogério Pacheco estava entre os envolvidos neste acidente que aconteceu na manhã do dia 21/03/09.

Foi submetido a uma cirurgia para recompor os tendões, também foi preciso colocar pino ligando ombro cravícula. Hoje Rogério Pacheco, considerado o maior nome na modalidade Ultra Ciclismo do Brasil não vê este acidente como um problema, para a temporada 2009, uma vez que não estará na RAAM ( Race Across América) nos EUA prova que pela segunda vez consecutiva se classifica ao vencer às 24h de Fortaleza em 2007 e 2008 na categoria solo. “A RAAM ainda não sai de minha meta de um dia poder participar.” Diz o atleta. Tantas dificuldades que enfrenta além é claro, a falta de patrocínio não desanima Pacheco. “Há dois anos consecutivos garanto a vaga e a honra de representar o Brasil para esta competição de tamanha importância do calendário internacional como a RAAM e o Mundial de Ultra Ciclismo. Orgulho de ser hoje o maior atleta do Brasil nesta modalidade.” Comenta Pacheco.

Com cem por cento de aproveitamento em provas de 24h, que somadas são três vezes campeão, primeira participação nesta modalidade aconteceu em 2006 São Paulo, 2007 e 2008 em Fortaleza onde venceu de forma brilhante grandes nomes desta modalidade, tanto do Brasil, quanto nomes do exterior. Além, claro, muitas outras provas conquistadas. Vale destacar o Campeonato Brasileiro Máster de ciclismo em 2008 em que foi medalha de ouro, também em 2008 foi medalha de bronze no Campeonato Brasileiro Máster de XC Maratona.

Persistente, assim define este campeão que não desiste nunca de seus sonhos, com tudo, pode se dizer que não é apenas Rogério Pacheco o atleta a perder com este histórico vitorioso, também o ciclismo em geral, sem falar do Brasil que estaria colocando seu nome em um personagem que talvez não estaria apenas para terminar a RAAM ou outras provas de Ultra Ciclismo, seja elas de Ciclismo ou de Mountain Bike. Um atleta completo para as duas variantes... Tudo isso agregado à tamanha determinação provada em uma carreira de vitórias somadas a recordes superados que mais vale acreditar hoje no maior atleta para provas de Ultra Ciclismo do Brasil.

MATERIA AMIGOS DA BIKE LINK ; http://amigosdabike.com.br/default.asp?ps=3&codigo=5125


----------------------------------------------------------------------------------------------
Matéria Bikemagazine

DESAFIO 24 HORAS



Destaques nacionais e internacionais
confirmam presença no evento no CE

O Desafio 24 Horas de Ciclismo confirmou a presença de nomes importantes do ciclismo internacional e nacional para a sexta edição do evento, que acontece em Porto das Dunas, a 16 km de Fortaleza (CE), nos dias 15 e 16 de novembro.

O mineiro Rogério Pacheco (foto acima), atual campeão da prova na categoria Solo, está entre os destaques da prova.

Na disputa por equipes, estão confirmadas as presenças de Murilo Fischer, Luciano Pagliarini (foto) e do catarinense Márcio May, que vai disputar a prova de 12 horas em sexteto. A equipe paulista da Scott-S. J. Campos também garantiu presença no evento.

Na categoria Solo, os ultraciclistas brasileiros Rogério Pacheco, atual campeão do Desafio, os santistas Claudio Clarindo e Julio Paterlini e os cearenses Wagner Comodoro e Diogo Porto prometem esquentar a disputa pelo pódio.

Entre os estrangeiros, já confirmaram presença a ultraciclista canadense Caroline Van Den Bulk, o esloveno Marco Baloh (atual recordista mundial das 12 e 24 horas), o italiano Fabio Biasiolo, e o norte-americano Rob Kish (foto abaixo), tricampeão da RAAM.

PREMIAÇÃO INÉDITA

O ponto de partida do evento será no complexo do Beach Park, com dois hotéis e o maior parque aquático da América Latina na beira-mar.

A prova cearense é a única seletiva na América Latina para a famosa Race Across America e vale como etapa da Copa do Mundo de Ultraciclismo.

Esse ano a organização vai distribuir R$ 20 mil em prêmios. O campeão e a campeã da categoria Solo vão levar para casa R$ 2 mil cada. As duplas (masculina e feminina) vencedoras ganham R$ 3 mil e os quartetos (masculino e feminino) vão receber R$ 4 mil pela vitória.

Serão premiados com R$ 1 mil o competidor (homem e mulher) que completar a volta mais rápida no circuito.

“Esta era uma vontade nossa há algum tempo. Acredito que desta maneira confirmamos nosso estímulo à categoria do ultraciclismo no Brasil, incentivando e reconhecendo o esforço e desempenho dos ultra-atletas”, disse Michel Bögli, organizador do evento.

MATERIA BIKE MAGAZINE LINK : http://www.bikemagazine.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=4047&Itemid=1

------------------------------------------------------------------------------------------------

Matéria do site Liga Santista de Ciclismo



NOTÍCIAS

LIGA SANTISTA DE CICLISMO

Página Principal

02/11/2008

Rogerio Pacheco confiante Para às 24h de Fortaleza

Divulgação

Rogério Pacheco

O ciclista mineiro Rogério Pacheco campeão do Desafio 24h de Fortaleza de 2007 esta confiante para o tão esperado desafio deste ano, onde tem o compromisso de manter o feito do ano passado em que não só levou o título de campeão como o recorde da prova, com 47 voltas no circuito de
13km totalizando 611km durante às 24:08:48. Pacheco como é conhecido, vem em 2008 com excelentes resultas no ciclismo e MTB, apesar de praticamente não competir mountain bike desde 2005. Foi medalha de OURO no Campeonato Brasileiro Master de ciclismo, também medalha de BRONZE no MTB Maratona deste ano na mesma categoria.

Com uma certa frustração Pacheco comenta os desafios que tem a pelo menos 10 anos como atleta:

"Assim que cruzei a linha de chegado com o tempo de 24:08:48 em 2007 no desafio de Fortaleza, até parece brincadeira, mas já pensava no próximo ano. Como faria para participar na RAAM (Race Across America), uma vez que o vencedor se classificaria para esta. Também pensei no Mundial de
Ultra Ciclismo e principalmente do próprio Desafio de Fortaleza de 2008. Toda essa frustração por um fator comum, se tratando de investimento no ciclismo do Brasil: a falta de patrocínio. Ter vencido este desafio, considero apenas mais um dos muitos desafios que já passei e dos que terei que passar para estar atuante neste esporte".

Rogério Pacheco como base fez alguns treinos para estar atuante em algumas competições do calendário nacional de 2008. Faltando poucos dias para às 24 de Fortaleza ele tem intercalado seus treinos entre o dia e a noite simulando o que acontece durante 24h de pedal. Rogério Pacheco confirma presença confiante, chegando em Fortaleza dia 12/11/2008 para tentar defender o bi-campeonato e quem sabe tentar bater seu próprio recorde e poder levar o premio de R$2.000,00 para casa.

Para esta competição Rogério Pacheco tem o apoio de: GREEN MAX BIKES BY PACHECO/ TERRA DA SOBRIEDADE. BLOGS: BIKERS SÃO JOSÉ DA LAPA, PEDAL DO FRANGO E UNIÃO CICLISTICA DESPORTIVA RECREATIVA DE MINAS GERAIS.





Matéria site Amigos da Bike

Pacheco e Genovesi vencem o Desafio 24h no Ceará






Superação foi a palavra em comum entre Genovesi e Pacheco durante 24 horas


Porto das Dunas em Fortaleza recebeu no último sábado a sexta edição do Desafio 24h, evento este que reuniu os melhores ultramaratonistas brasileiros e estrangeiros, assim como nomes consagrados no ciclismo nacional.

Entre os melhores, Pacheco foi o grande campeão. O atleta mineiro que hoje reside na Bahia fez uma prova dura disputada do começo ao fim, travando batalhas com diversos atletas, Pacheco que chegou a ocupar a quarta colocação, mostrou muita determinação, vontade de vencer e ainda bater o seu próprio recorde de voltas, que era de 47 em 2007 e este ano passou para 50 voltas.

O mineiro nos conta um pouco da dureza que foi o Desafio 24h. “Bater guidão por duas horas com um cara que é terceiro do ranking mundial não é fácil, faltavam duas horas para terminar a prova e ele me ameaçando todo o tempo, pensei comigo – não tenho estratégia mais, tenho que pedalar, fazer força”, comentou Pacheco que nas últimas voltas percebeu que Biasiolo não estava conseguindo acompanhar seu ritmo nas subidas, aproveitando o atleta para colocar uma vantagem em cima do italiano afastando a possibilidade de um sprint final, o que mais preocupava o atleta. “O sprint era tudo o que eu não queria”, revelou.

Pacheco tentou aplicar a mesma estratégia da edição anterior, forçar o ritmo na primeira metade da prova e administrar a segunda metade, mas acabou não dando muito certo. “A prova não se definia, não tinha como fazer uma estratégia, fiquei sem saber o que fazer, mas o trabalho que fizemos a noite deu resultado, eu pedalo melhor a noite e também contei com a ajuda do Luis Otávio, meu staff para conseguir vencer esta prova.”

Daniela Genovesi também travou duras batalhas, mas estas foram com o seu psicológico. Liderando do início ao fim, Genovesi nas primeiras voltas não aparecia na classificação, com problema em sua inscrição, a atleta estava disputando na Solo Masculina, o que não abalou a atleta que seguiu em frente. Após a correção de sua categoria, ainda durante o dia, Genovesi caiu para a segunda colocação. Com o batimento de tempo e voltas com a segunda cronometragem do percurso, ficou constatado que houve uma falha de registro, voltando Daniela novamente a liderança da competição.

Parece que todos estes problemas serviram para fortalecer ainda mais a Carioca que se preparou por dois meses para esta prova, ela que tinha objetivo único; conquistar o direito de correr a RAAM. A atleta durante a competição chegou a colocar cinco voltas a frente da canadense Caroline Van Den Bulk.

“Vi que a cada volta minha vantagem sobre Caroline aumentava, então procurei colocar uma volta em cima dela antes de anoitecer, e deu certo. A cada hora eu aumentava esta diferença e comecei a administrar, vi que só dependia de mim”, comentou a campeã.

Genovesi precisou apenas de 23 horas para garantir a vitória e o sonhado direito de competir a RAAM 2009. “Com vinte e três horas e vinte minutos de prova eu não conseguia mais comer, minhas energias estavam esgotadas e eu estava com cinco voltas a frente da canadense, foi ai que eu vi que tinha feito a minha parte e parei”, finalizou a atleta.

O Desafio 24h além de seletiva para a RAAM, prova que atravessa o Estados Unidos de costa a costa, foi a etapa final da Copa do Mundo de ciclismo de ultradistância, reunindo atletas da Suécia, Itália e Canadá.

Murilo Fischer, Luciano Pagliarini e Marcio May

Grandes nomes do ciclismo nacional compareceram para prestigiar o Desafio 24h, Marcio May aposentado do ciclismo profissional aproveitou a oportunidade para recordar das grandes disputas que já realizou durante toda sua carreira. Ele que participou do Quarteto 12 Horas, mesma categoria que Murilo Fischer.

“Vim para me divertir e manter a forma física dei uma engordadinha e agora quero ver se consigo perder este peso”, declarou May em tom de brincadeira. Marcio que está aposentado do ciclismo reconheceu que o espírito de competição ainda prevalece. “Na hora da largada a gente sente aquela adrenalina, a cabeça pensa uma coisa e as pernas dizem outra, mas é tranqüilo, meu objetivo aqui é curtir e prestigiar o evento”. Ele que já competiu em 2005 em quarteto 24 horas acabando na segunda colocação.

Com seis quilos acima do peso de temporada e com a família em férias, Pagliarini não se intimidou e colocou seu quarteto para disputar as 24 horas. “Viemos aqui para fazer bem feito, tentar bater o recorde de voltas do ano passado, estava muito difícil, forte vento, muito calor”. Pagliarini encontrou na prova o calor como maior dificuldade, ele que já competiu em outra oportunidade em sexteto, não havia se deparado com o forte calor desta edição. “Das onze da manhã às três horas da tarde estava muito sol, muito quente, foi o período mais crítico”, declarou o atleta.

Outro brasileiro de renome, Murilo Fischer também compareceu para se divertir e aproveitar para dar início aos seus treinamentos. “Quero pedalar o máximo possível para começar a preparação para 2009, não viemos para ganhar e sim para brincar e começar um trabalho sério para o próximo ano”. Este foi o primeiro ano do atleta nesta competição, que gostou do circuito e da estrutura do evento. “Um circuito bem seletivo que exige bastante preparação dos atletas e o evento está muito bonito”, declarou.

Evento para poucos

O Desafio 24h é mais que um grande evento, um teste físico e psicológico, na categoria solo, apenas três atletas concluíram a prova, Cláudio Clarindo, Wagner Comodoro entre outros favoritos simplesmente não conseguiram finalizar, simplesmente entre aspas, Comodoro sofreu com as cãibras e problemas gástricos obrigando o atleta a abandonar a prova. Já Clarindo, resumiu sua desistência em duas palavras: “pifei mesmo”, ele que vinha se recuperando, conquistando posições foi superado pela competição.

O italiano Fabio Biasolo, que fez uma prova forte, concluindo na terceira colocação o Desafio 24h também sentiu a dureza da prova, finalizando as últimas voltas sem conseguir beber água devido a deficiência de seu corpo nas últimas horas.

Na segunda colocação ficou Rosival que fez as 24 horas da competição sem parar, ele que chegou sem estrutura para o eventou contou com a ajuda dos presentes e amigos no evento para lhe prestar assistência.

Estrutura & Organização

A organização está de parabéns pela estrutura disponibilizada para o evento e atletas. O evento realizado no Beach Park Suítes Resort trouxe toda a comodidade e conforto para o atleta, equipe e familiares.

Com dois sistemas de cronometragem por transponder, o evento conseguiu efetuar as devidas correções, como no caso de Genovesi e também impossibilitou qualquer tipo de “corte” dos atletas, além de vários fiscais percorrendo todo o percurso estabelecido em 13 quilômetros.

Todos os atletas da categoria Solo e todas as equipes tiveram estrutura de tenda fornecida pela organização.

Classificação das Categorias Solo

Solo Masculino

01 - 001 Rogério Pacheco (51 voltas RECORDE) - 24:32:25
02 - 121 Rosival de Lima (50 voltas) - 24:32:26
03 - 110 Fabio Biasiolo (49 voltas) - 24:12:36
04 - 003 Rob Kish (41 voltas) - 23:40:25
05 - 108 Roberto Trotta (38 voltas) - 23:53:24
06 - 114 Ricardo Ferraz (36 voltas) - 24:07:51
07 - 122 Joel Chavez Peixoto (35 voltas) - 24:32:28
08 - 119 Henrique Caldas (32 voltas) 24:27:30
09 - 107 Fernando Sales (31 voltas) - 15:00:29
10 - 002 Cláudio Clarindo (29 voltas) - 15:29:06

Solo Feminino


01 - 109 Daniela Figueiredo (42 voltas RECORDE) - 23:08:44
02 - 106 Caroline V. D. Bulk (39 voltas) - 24:00:46
03 - 118 Alziane Diogenes (30 voltas) - 24:27:53
04 - 117 Sandra Faustino (19 voltas) - 17:32:47

Data: 19/11/2008
Por: Redação



Matéria do site o povo online Fortaleza CE

esportes

24 horas pedalando

Um mineiro e uma carioca foram os vencedores na categoria solo do Desafio 24 Horas. Os atletas passaram o período de um dia pedalando e asseguraram vitória na competição, que foi realizada nesse fim de semana


17 Nov 2008 - 00h18min

Foram 51 voltas em mais de 600 quilômetros, pedalando durante 24 horas. Com o resultado, o mineiro Rogério Pacheco venceu mais uma vez a edição 2008 do Desafio 24 Horas, na categoria solo. O atleta foi o campeão também no ano passado. Além disso, quebrou o próprio recorde, que era de 47 voltas. O evento ocorreu no Beach Park e teve a participação de 210 atletas amadores e profissionais, que largaram às 8 horas do sábado e pedalaram durante 24 horas, num percurso de 13 quilômetros.

O campeão relata a experiência: "Foi a prova mais difícil e dolorosa da minha vida. Só consegui acertar o ritmo à noite e acredito que esse foi o meu grande diferencial para sair vitorioso desta competição que não foi fácil". Rogério Pacheco também conquistou medalha de ouro no Campeonato Brasileiro Master de Ciclismo.

Na categoria solo feminino, a vencedora foi a carioca Daniela Figueiredo que percorreu 42 voltas em 546 quilômetros. Daniela quebrou o recorde de 30 voltas, da atleta Paula Fernandes. Dentre as equipes que pedalaram em duplas, a equipe feminina Big Gyn Refrigerantes bateu o recorde anterior e venceu a prova ao completar 45 voltas, em 585 quilômetros. No masculino, a equipe Moto Ciclo/Federação Cearense venceu com 54 voltas em 702 quilômetros.

Os melhores atletas dividiram uma premiação no total de R$ 20.000. Todos os que finalizaram a prova receberam medalhas de participação. O Desafio 24 Horas 2008 é parte da World Cup de Ciclismo de Ultra-distância e foi seletiva para Race Across America (RAAM) 2009, famosa competição de ciclismo que atravessa os Estados Unidos de costa a costa.

VENCEDORES POR CATEGORIA

> 24 HORAS
SOLO

Masculino - 1° lugar - Rogério Pacheco, 51 voltas, em 663 km
Feminino - 1° lugar - Daniela Figueiredo, 42 voltas, em 546 km

DUPLAS
Masculino - 1º lugar - Equipe Moto Ciclo/Federação Cearense, 54 voltas, em 702 km
Feminino - 1º lugar - Equipe Big Gyn Refrigentantes, 45 voltas, em 585 km
Mista - 1º lugar - Nabuco Racing Switzerland, 51 voltas, em 663 km

QUARTETOS
Masculino - 1º lugar - Equipe Pagliarini Express, 69 voltas, em 897 km
Master - 1º lugar - Equipe Nabuco Rancing, 50 voltas, em 650 km

SEXTETO
Masculino - 1º lugar - Equipe Regiciclo, FCC, Pizz M Burger, 65 voltas, em 845 km
Misto - 1º lugar - Equipe Grupo Pão de Açúcar, 47 voltas, em 611 km

> 12 HORAS
QUARTETOS - 1º lugar - Equipe EV Sports Marketing, 30 voltas, em 390 km


-------------------------------------------------------------------------------------------------

Matéria do site Esporte Candango de Brasília DF



http://www.esportecandango.com.br/templates/esporte2008/images/logo.gif

Rogério Pacheco defende título no Desafio 24h de Ciclismo


Segunda, 3 de novembro de 2008, 10h20

Nos dias 15 e 16 de novembro acontece o Desafio 24h de Fortaleza, capital cearense. E um dos atletas já confirmados é o mineiro Rogério Pacheco, atual campeão da prova e que está confiante na conquista de mais um titulo. Em 2007, o ciclista bateu o recorde com 47 voltas no circuito de 13 km, totalizando a prova com o tempo de 24h08min48.

Além do título, Pacheco tem a seu favor seu ótimo retrospecto esse ano, com excelentes resultados. O atleta foi medalha de ouro no Campeonato Brasileiro Máster de Ciclismo, e também levou a de bronze, no MTB Maratona, pela mesma categoria.

"Assim que cruzei a linha de chegada no Desafio de 2007, até parece brincadeira, mas já pensava no próximo ano. Como faria para participar na RAAM (Race Across America), uma vez que o vencedor se classificaria para esta. Também pensei no Mundial de Ultra Ciclismo e principalmente do próprio Desafio de Fortaleza de 2008. Ter vencido este desafio, considero apenas mais um dos muitos desafios que já passei e dos que terei que passar para estar atuante neste esporte", comentou o atleta, que não conseguiu concretizar todos estes planos.

Agora, o ciclista vem se dedicando aos treinos, intercalados entre o dia e a noite, para tentar uma simulação do que vai acontecer durante a difícil prova. O atleta chega em Fortaleza no dia 12.

Lancepress!





---------------------------------------------------------------------------

Matéria do site Bikemagazine


26 de Dezembro de 2009
24 HORAS DE CICLISMO PDF Imprimir E-mail

Galeria de imagens comentadas com
o melhor da prova em Fortaleza-CE

Texto e fotos de Marcos Adami

A última edição do Desafio 24 Horas de Ciclismo, realizado nos dias 15 e 16 de novembro no Porto das Dunas, próximo a Fortaleza, mais uma vez testou os limites dos ciclistas que competiram na categoria solo. O vento constante e o calor foram apenas alguns dos desafios.

A vitória na Solo ficou com o mineiro Rogério Pacheco, que garantiu o bicampeonato e superou fortes adversários. Na categoria feminina, a carioca Daniela Genovesi provou que não manda bem só no mountain bike. Genovesi superou a holandesa Caroline Van Den Bulk em três voltas.

Confira as melhores imagens com comentários.

Antes mesmo do sol nascer, o mineiro de Uberaba, Roberto Carlos Silva,
pediu proteção aos santos e leu os Salmos. "Eles não estão nada
para mim", comentou. Roberto tem o braço direito amputado desde
os seis anos e pedala uma bike especialmente adaptada à sua
necessidade com muita habilidade
O catarinense Márcio May, seguido pelo seu conterrâneo Murilo Fischer,
andou forte na categoria quarteto 12 Horas e conquistou o título
O mineiro Rogério Pacheco, campeão do ano passado, fez um corrida
inteligente e foi fortemente marcado pelo italiano Fabio Biasiolo e
pelo paulista Rosival de Lima. Pacheco assumiu a ponta à 1h15 do
domingo e conquistou o bi com 51 voltasem 24h32min25s, Rosival
terminou em segundo com 50 voltas e um segundo atrás de Pacheco.
Biasiolo ficou em terceiro, com 49 voltas, 24h12min36s.
No amanhecer do domingo, Pacheco estava firme e sem dar sinais de cansaço

Na solo feminino, a carioca Daniela Genovesi Figueiredo assumiu a ponta ainda
na primeira volta e não deu chance para as adversárias. Daniela completou 42
voltas em 23h08min44s, trêas a mais que a holandesa Caroline Van Den Bulk.

Daniela pratica mountain bike e corridas de aventura.
"Adoro o mountain bike", confessa.

Em 2003, Dani venceu o Extra Distance 800KM e já se prepara para sua maior
aventura. "Vou batalhar para disputar a Race Across America em 2009.
A Cimento Tupi prometeu me ajudar"

O deficiente visual Paulo Cardoso disputou com uma bicicleta
tandem - a única na prova - com seu piloto Gregório de Morais
O norte-americano Bob Kish, que disputou a prova pela segunda vez,
é uma lenda viva do ultraciclismo. O capacete torto na cabeça - um Bell
na cor branca - é a marca registrada do homem que já venceu três vezes
a RAAM e recorde de participações na prova transcontinental americana
O catarinense Murilo Fischer, ciclista que defende a equipe
ProTour italiana Liquigas, competiu num quarteto ao lado de
Bruno Menezes, André Nascimento e Fabrizio
O santista Cláudio Clarindo, bicampeão da prova (2005 e 2006),
recebe massagem e alimentação no início da noite do sábado, em sua
primeira parada na prova. Com 15h30 de corrida e 29 voltas, Clarindo
abandonou a prova. "Não brinque com Fortaleza que Fortaleza não
brinca com você", ensinou o ultraciclista, que assumiu não ter treinado
o suficiente para suportar a dureza da prova cearense
A suíça Katrin Leuman venceu na categoria dupla mista e ainda
faturou o prêmio da volta mais rápida entre as mulheres
O triatleta paranaense Juraci Moreira, prata no
Pan do Rio, disputou em quartetos
O italiano Fabio Biasiolo deu muito trabalho aos brasileiros da solo
A alegria do pódio dos heróis da categoria solo masculina

Marcos Adami viajou a convite da organização do evento.

Mais informações sobre a prova no site www.desafio24h.com.br

--------------------------------------------------------

Matéria do site O Estado

Fortaleza, Ceará, Brasil.

Esportes

segunda, 17 de novembro de 2008

Rogério Pacheco conquista o bi no Desafio 24 Horas

O atleta mineiro deu 51 voltas, em 663 km e vence na categoria solo

http://www.oestadoce.com.br/imagens/noticias/destaque_20081117025811.jpg


O mineiro Rogério Pacheco repetiu o êxito de 2007 e, este ano, venceu mais uma vez o Desafio 24 Horas, na categoria solo. O atleta deu 51 voltas, em 663 km, durante as 24 horas e, com a vitória, conquistou o bicampeonato. Além disso, quebrou o próprio recorde, que era de 47 voltas. O evento aconteceu no Beach Park e contou com a participação de 210 atletas amadores e profissionais, que largaram às 8h do sábado e pedalaram durante 24 horas, num percurso de 13 km.

“Foi a prova mais difícil e dolorosa da minha vida. Só consegui acertar o ritmo à noite e acredito que esse foi o meu grande diferencial para sair vitorioso desta competição que não foi fácil”, relata Pacheco, medalha de ouro no Campeonato Brasileiro Master de ciclismo e agora bicampeão do Desafio 24 Horas.
Entre as mulheres, o destaque da categoria solo foi a carioca Daniela Figueiredo que, com 42 voltas e 546 km percorridos, quebrou o recorde que era da atleta Paula Fernandes com 30 voltas.


Também foram considerados grandes estrelas do Desafio 24 horas os atletas que pedalaram em duplas. A equipe feminina Big Gyn Refrigerantes bateu o recorde anterior e venceu a prova ao completar 45 voltas, em 585 km. No masculino, a equipe Moto Ciclo/Federação Cearense venceu com 54 voltas e 702 km. As demais equipes vencedoras de quartetos e sextetos, do masculino, feminino e misto também comprovaram resistência e disposição. Os melhores atletas dividiram uma premiação no total de R$ 20.000,00 e todos os que finalizaram a prova receberam medalhas de participação.


“A prova foi muito boa e alcançamos nosso objetivo, que foi o de realizar uma competição com alto nível de segurança. Cada ano vamos aprendendo e, para 2009, a vontade é que possamos melhorar casa vez mais e oferecer novidades que facilitem a vida dos atletas”, resume Michel Bögli, diretor da prova.
O Desafio 24 Horas 2008, competição única no País, compõe ainda uma etapa da World Cup de Ciclismo de Ultra-distância e foi seletiva para Race Across America (RAAM) 2009, famosa competição de ciclismo que atravessa os Estados Unidos de costa a costa.


Uma grande estrutura foi montada para receber os competidores, com uma arena com lanchonete, oficina mecânica e apoio para as equipes, além de segurança disponível ao longo do percurso. O evento teve o patrocínio do Beach Park, Governo do Estado, através das secretarias de Turismo e Esporte, e apoio da Servis Segurança e Prefeitura Municipal de Aquiraz.

VENCEDORES
SOLO:
• Masculino – 1º lugar – Rogério Pacheco, 51 voltas, em 663 km
• Feminino - 1º lugar – Daniela Figueiredo, 42 voltas, em 546 km
DUPLAS:
• Masculino - 1º lugar – Equipe Moto Ciclo/Federação Cearense, 54 voltas, em 702 km
• Feminino - 1º lugar – Equipe Big Gyn Refrigentantes, 45 voltas, em 585 km
• Mista - 1º lugar – Nabuco Racing Switzerland, 51 voltas, em 663 km
QUARTETOS:
• Masculino - 1º lugar – Equipe Pagliarini Express, 69 voltas, em 897 km
• Master - 1º lugar – Equipe Nabuco Rancing, 50 voltas, em 650 km
SEXTETO:
• Masculino - 1º lugar – Equipe Regiciclo, FCC, Pizz M Burger, 65 voltas, em 845 km
• Misto - 1º lugar – Equipe Grupo Pão de Açúcar, 47 voltas, em 611 km
12 HORAS:
QUARTETOS - 1º lugar – Equipe EV Sports Marketing, 30 voltas, em 390 km

--------------------------------------------------------------------------------------------------
Matéria do site Diário do Nordeste

Diário do Nordeste


DESAFIO 24 HORAS (17/11/2008)

Pacheco garante o 2º título

Foto da matéria

Clique para Ampliar

Rogério Pacheco, após completar 51 voltas e 663Km, festejou o triunfo e o bi no Desafio 24 Horas

Clique para Ampliar

17/11/2008

Ciclista mineiro Rogério Pacheco ganhou pela segunda vez consecutiva a prova Desafio 24 Horas na categoria Solo. Campeão no ano passado, este ano, ele garantiu o bicampeonato após dar 51 voltas, em 663km. Além disso, quebrou o seu próprio recorde na prova, que era de 47 voltas. O evento teve largada, sábado passado, às 8h, do Beach Park, e foi encerrado, ontem, às 8h, com a participação de 210 atletas amadores e profissionais, num percurso de idas e vindas de 13km.

“Foi a prova mais difícil e dolorosa da minha vida. Só consegui acertar o ritmo da competição à noite e acredito que esse foi o meu grande diferencial para sair vitorioso dessa competição”, comentou o ciclista mineiro Rogério Pacheco, medalha de ouro no Campeonato Brasileiro Master de Ciclismo e, agora, o bicampeão da prova Desafio 24 Horas.


----------------------------------------------------------------------------------------------

Matéria do site o radical

http://oradical.uol.com.br/oradical_01.jpg
http://www2.uol.com.br/oradical/images/faixa_bike.jpg

Rogério Pacheco defende título no Desafio 24h de Ciclismo
Texto de: 03/11/2008
Imprimir Matéria Indicar matéria para um amigo Comentários



Bike - Nos dias 15 e 16 de novembro acontece o Desafio 24h de Fortaleza, capital cearense. E um dos atletas já confirmados é o mineiro Rogério Pacheco, atual campeão da prova e que está confiante na conquista de mais um titulo. Em 2007, o ciclista bateu o recorde com 47 voltas no circuito de 13 km, totalizando a prova com o tempo de 24h08min48.

Além do título, Pacheco tem a seu favor seu ótimo retrospecto esse ano, com excelentes resultados. O atleta foi medalha de ouro no Campeonato Brasileiro Máster de Ciclismo, e também levou a de bronze, no MTB Maratona, pela mesma categoria.

"Assim que cruzei a linha de chegada no Desafio de 2007, até parece brincadeira, mas já pensava no próximo ano. Como faria para participar na RAAM (Race Across America), uma vez que o vencedor se classificaria para esta. Também pensei no Mundial de Ultra Ciclismo e principalmente do próprio Desafio de Fortaleza de 2008. Ter vencido este desafio, considero apenas mais um dos muitos desafios que já passei e dos que terei que passar para estar atuante neste esporte", comentou o atleta, que não conseguiu concretizar todos estes planos.

Agora, o ciclista vem se dedicando aos treinos, intercalados entre o dia e a noite, para tentar uma simulação do que vai acontecer durante a difícil prova. O atleta chega em Fortaleza no dia 12.
Imprimir Matéria Indicar matéria para um amigo Comentários


-----------------------------------------------------------------------------------------------

Matéria site Pedal

http://www.pedal.com.br/logo_novo.jpg

Ciclistas batem recorde de voltas na Lagoa da Pampulha

Com um tempo de 9 horas e 49 minutos de pedal, os atletas Carlos Leônidas da Silva e Rogério Pacheco bateram o recorde de voltas completadas por ciclistas na Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. A expectativa inicial é que a distância total fosse percorrida em 10h30min.



A marca foi registrada no sábado, dia 28 de fevereiro. A largada foi dada às 7 horas e durante todo o dia, foram feitas somente duas paradas – cinco e dez minutos respectivamente – ao final da sexta e da 12ª voltas. Os dois ciclistas percorreram uma distância de 339,2 quilômetros com uma velocidade média de 34,5 km/h. A 18ª volta foi encerrada às 17h05min com a comemoração dos atletas e da equipe de apoio concentrada no Marco Zero da Lagoa.

Para alcançar a meta, os ciclistas contaram com o apoio de outros atletas que se revezaram ao longo de todo o dia para entregar água e alimentos aos dois.

Os ciclistas agradecem ainda o apoio da Green Max Bicicletas, Pedal do Frango http://www.pedaldofrango.blogspot.com e Melhor Tempo Consultoria em Atividades Físicas.


:: Os atletas

Carlos Leônidas da Silva, 27 anos

Atleta de Mountain Bike e Ciclismo
Vice-campeão Mineiro de Ciclismo (2004), na categoria Sub-30
Terceiro lugar no Campeonato Mineiro de Contra-relógio (2004), na categoria Sub-30

Rogério Pacheco, 36 anos

Atleta de Mountain Bike e Ciclismo
Campeão Brasileiro Máster de Ciclismo (2008)
Bicampeão da prova 24 horas de Ciclismo de Fortaleza (2007 e 2008), na categoria Solo
Campeão do Ultra Distance (2006) em São Paulo

4 fotos

  • foto 0
  • foto 1
  • foto 2
  • foto 3



Postado por: Guiné em 18/03/2009



------------------------------------------------------------------------------------------------



Matéria Blog Pedal do Frango


http://2.bp.blogspot.com/_02Tf63H8kkE/SxlojmyoD6I/AAAAAAAANPo/JnD-LSIw3M4/S1600-R/LOGO+PARA+O+BLOG.JPG

Rogerio Pacheco(Campeão Brasileiro 2008 master)



Atleta de longa distância conquista campeonato Brasileiro de ciclismo Master de Estrada 2008
Santa Luzia em Minas Gerais, nos dias 29, 30 e 31 de agosto de 2008 foi palco para o Campeonato Brasileiro de Ciclismo Master. E o Ciclista mineiro Rogério Pacheco foi o Grande campeão na categoria 35 a 39 anos. Rogério Pacheco que hoje é especialista em provas de longa distância, provou superioridade também em provas de velocidade.Ele que não competiu no início deste ano na RAAM nos EUA por falta de patrocínio, muito menos não pode ir para o Mundial de Ultra Ciclismo na Suíça em julho também em 2008, diante a este problema que é comum em nosso país, Rogerio Pacheco teve que mudar suas estratégias de treino. Selecionando algumas provas do calendário nacional para estar atuante no ciclismo e uma delas foi o Campeonato Brasileiro de Estrada.
[pac2.jpg]

[pac3.jpg]

[pac4.jpg]

Não decepcionou em Casa, vencendo escapado a prova em uma fuga solitário, abrindo uma diferença de mais de um minuto do pelotão. "Fiz várias tentativas de fuga, faltando 15km para o final, fiz um ataque na última subida e comecei abrir vantagem do pelotão" comenta Pacheco, que iniciou os treinos em junho deste ano, sentindo-se bem físicamente apesar de tão pouco tempo que voltou a treinar. "A conquista deste título é muito importante para a minha carreira. Agora vou fazer treinos específicos pensando nas 24h de Fortaleza, onde vou defender o Bi campeonato". Diz Rogerio Pacheco

Abr. Frango